Confira 10 grandes descobertas que ocorreram em universidades do Reino Unido

Lisandra Matias – Jornalista

22/09/2020

Do fim do século XVIII ao final do século XX, acompanhe 10 invenções na área de biologia e saúde que revolucionaram o conhecimento humano

Além da excelência acadêmica, as universidades do Reino Unido são reconhecidas internacionalmente pela qualidade da sua pesquisa científica. Das instituições de ensino do país já saíram grandes descobertas que contribuíram para o desenvolvimento da ciência e a melhoria da qualidade de vida da população, muitas delas vencedoras de Prêmios Nobel. Veja uma linha do tempo — do final do século XVIII ao XX — com algumas grandes invenções que moldaram a história da humanidade.

1798 — Edward Jenner, formado pela St George’s University of London e University of St. Andrews, inventou a primeira vacina no mundo, foi a vacina contra a varíola.

1853 — Alexander Wood, formado pela University of Edinburgh, criou a primeira agulha hipodérmica, que usava uma seringa e uma agulha oca.

1892 — Francis Galton, formado pelo King’s College e London Trinity College (Cambridge), desenvolveu um método para classificar impressões digitais, usado na ciência forense até hoje.

1945 — Dorothy Hodgkin, junto a seus estudantes de pós-graduação do Somerville College (Oxford), desvendou a estrutura molecular da penicilina. Essa descoberta foi fundamental para viabilizar a produção em massa da penicilina durante a Segunda Guerra Mundial e tratar os soldados doentes.

1953 — Francis Crick, importante biólogo molecular formado na University College London, foi um dos descobridores da estrutura helicoidal do DNA. Ele dividiu com seus colegas o Prémio Nobel de Medicina de 1962 pela importância dessa descoberta.

1958 — John Gurdon, então na University of Oxford, anunciou que havia clonado com sucesso um sapo.

1977 — Robert Geoffrey Edwards, formado pela University of Edinburgh, foi o responsável pela primeira fertilização in vitro bem sucedida da história, que deu origem ao primeiro bebê de proveta, a britânica Louise Brown. Ele ganhou o Prémio Nobel de Medicina por esse trabalho, mas apenas em 2010.

1984 — Sir Alec Jeffreys, geneticista formado pela University of Oxford e então professor da University of Leicester, desenvolveu técnicas de impressão digital genética e o perfil de DNA, que passaram a ser usados em todo o mundo na ciência forense e na resolução de disputas de paternidade.

1991 — John Gustav Daugman, professor da University of Cambridge, inventou o IrisCode, um algoritmo 2D de identificação de pessoas pelo reconhecimento da íris. Desde então, sistemas automáticos de reconhecimento de íris (Gabor wavelet) são amplamente utilizados em todo o mundo.

1997 — Cientistas escoceses do Roslin Institute, da University of Edinburgh, produziram o primeiro mamífero clonado, a ovelha Dolly, a partir de uma célula adulta.


Últimas publicações
Confira 10 grandes descobertas que ocorreram em universidades do Reino Unido
Além da formação acadêmica e profissional, estudar fora traz vantagens pessoais
Graduação no exterior é forma eficaz de ganhar domínio em um idioma

Está gostando do conteúdo?

  • Então se inscreva em nossa 
  • newsletter e fique por dentro 
  • de todas as novidades!