Lisandra Matias – Jornalista
12/02/2020

Quarentena é bom momento para refletir sobre o curso, a instituição e a cidade; consultoria acadêmica orienta escolhas e, neste período, disponibiliza simulado do IELTS gratuitamente

Nação multicultural e berço de grandes acontecimentos históricos e personalidades do mundo ocidental, o Reino Unido concentra 38% dos ganhadores do Prêmio Nobel e possui algumas das melhores universidades do planeta – Cambridge e Oxford costumam encabeçar os rankings internacionais de educação superior. Com tudo isso, não é difícil entender por que é um dos países mais procurados pelos estudantes brasileiros que desejam fazer uma graduação no exterior.

Para quem quer estudar lá, uma possibilidade é contar com a ajuda de uma consultoria acadêmica, que orienta no processo de escolha do curso, da universidade e da cidade e na preparação para a mudança, levando sempre em conta os objetivos e características do aluno. Esse atendimento personalizado pode ser realizado, inclusive, durante a quarentena , já que é um processo online e exige bastante tempo e dedicação.

Raimundo Sousa, diretor da OK Student Brasil , especializada em cursos de graduação e pós-graduação no Reino Unido, explica que a consultoria acadêmica é feita por videoconferência e e-mail, por profissionais especializados, com formação em psicologia, psicopedagogia e experiência em orientação de estudantes “Não existe receita pronta, as escolhas são construídas no processo de colaboração entre estudante e consultor”.

Etapas da consultoria

Assim, a primeira coisa a ser feita é o que ele chama de uma radiografia do estudante — conhecer profundamente o seu perfil, desejos, aspirações pessoais e profissionais e os motivos que o levam a querer estudar no exterior.

A partir disso, são apresentados os cursos de graduação. “São centenas de opções , entre elas as chamadas profissões do futuro e, normalmente, as pessoas desconhecem a existência de tantas possibilidades”, diz Sousa. O mesmo ocorre em relação à escolha da universidade e do local, pois são mais de 700 instituições que ministram cursos de ensino superior em 150 cidades universitárias.

A consultoria auxilia também na elaboração do Personal Statement – carta de motivação – documento em que o estudante relata os motivos pelos quais deseja fazer determinado curso naquela universidade –, que é um documento-chave para ingresso na universidade. “Como não existe exame de admissão para a graduação, o estudante concorre com a sua nota de conclusão do Ensino Médio, que é média de todas as disciplinas. Se os outros candidatos têm uma nota similar, a carta de motivação é que vai fazer a diferença”, explica o diretor. A consultoria também ajuda no planejamento financeiro , para identificar a opção com a melhor relação custo-benefício, o visto e a tradução de documentos.

A preparação do estudante para a mudança inclui ainda webinars ao vivo e workshops presenciais , em inglês, em que ele poderá interagir com pessoas que já estudam no Reino Unido e com consultores internacionais.

Proficiência no inglês

O nível de proficiência no idioma é outro fator fundamental no processo. “Todo estudante que quer fazer uma universidade no Reino Unido, independentemente da certificação que possua e do nível de inglês, tem que se submeter ao IELTS (International English Language Testing System)”, ressalta Sousa. Cada universidade, dependendo do curso pretendido, determina uma pontuação mínima para ingresso.

Segundo ele, os estudantes que contam com a consultoria fazem um simulado online do IELTS , que identifica o nível de preparação do candidato para essa prova e os pontos que precisam ser melhorados. Também são sugeridos links, do próprio IELTS onde ele pode buscar melhorar esses aspectos. O serviço, destinado a quem quer fazer graduação ou mestrado, estará aberto gratuitamente durante a quarentena . “Além da preparação para esses processos de escolha, o período de isolamento social também pode ser propício para se dedicar a melhorar o inglês”, sugere o diretor.

Lisandra Matias – Jornalista

Período pode ser propício para a pesquisa e reflexão, o que demanda tempo e tranquilidade; definição do curso, da universidade e da cidade são escolhas estratégicas

Quem deseja estudar no exterior, mas precisou adiar os planos por causa da pandemia no novo coronavírus, pode aproveitar a possibilidade de tempo ocioso da quarentena para se organizar e preparar a viagem para quando a situação se normalizar.

A escolha da cidade, do país, do tipo de curso e da instituição de ensino são decisões importantes a serem tomadas e requerem muita pesquisa e reflexão. “É preciso tranquilidade para conseguir se desligar um pouco das coisas do dia a dia e poder pensar nessas questões de forma mais aprofundada”, diz Raimundo Sousa, diretor da OK Student Brasil , empresa de consultoria para estudantes brasileiros que querem ingressar numa universidade no Reino Unido.

Para quem vai fazer cursos mais longos, como uma graduação ou pós pós-graduação, essa definição envolve ainda um questionamento sobre escolha profissional e o que a pessoa projeta para o seu futuro. “Como é um investimento alto, em termos de tempo e dinheiro, essa escolha precisa ser muito criteriosa e cuidadosa.”

Universidade

Uma vez decidido o tipo de curso, o próximo passo é considerar a universidade. No Reino Unido, por exemplo, são mais de 700 instituições que ministram cursos de graduação e pós-graduação , 130 delas de qualidade reconhecida, presentes nos principais rankings nacionais e internacionais de educação superior. A escolha vai depender também da aceitação da Universidade em função do histórico escolar e do currículo do candidato.

Cidade

A definição da cidade é outra questão estratégica, pois é recomendado que o estudante tenha alguma identificação com o local onde vai morar durante todo o tempo do curso. Para isso, deve considerar também suas preferências — por exemplo, se gostaria de viver numa localidade mais tranquila ou agitada, num grande centro urbano ou numa cidade menor, próxima ao litoral ou de interesse histórico.

Alojamento

Esse planejamento deve prever ainda o tipo de alojamento que se pretende e o valor que será gasto. De acordo com Sousa, o preço de um mesmo curso pode variar mais de 50% , assim como o custo de vida de uma cidade para outra pode oscilar em 30% . O mesmo ocorre com o valor dos alojamentos. E, em relação ao transporte, ele lembra que em algumas cidades ele pode ser gratuito. “Há muitos aspectos a ser considerados ao programar estudar no exterior. O período de isolamento social pode ser um momento adequado para essa reflexão”, finaliza o diretor.

Welcome to WordPress. This is your first post. Edit or delete it, then start writing!