Lisandra Matias – Jornalista

20/10/2020

Conheça os ganhos de estudar no Reino Unido, a partir da experiência de um brasileiro que estudou na Inglaterra e na Escócia e hoje trabalha na Holanda

Fazer uma pós-graduação no Reino Unido traz inúmeras vantagens para a formação do futuro profissional. Além da experiência de vivenciar uma outra cultura e da excelência das universidades do país, o estudante tem ganhos também em relação ao ensino, que possui um caráter prático e alinhado aos desafios do mundo atual.

O brasileiro Pedro Godoy, de 26 anos, fez graduação em administração (business management) na Middlesex University, em Londres, na Inglaterra. Em 2016, após concluir o curso — ele se graduou com a melhor nota da turma — ele partiu para um mestrado em negócios internacionais na University of St Andrews, na cidade de mesmo nome, na Escócia.

“Escolhi essa área porque sempre quis trabalhar em países diferentes e conhecer outras culturas, não apenas como turista, mas como profissional. Quanto à universidade — a terceira mais antiga do mundo anglofônico, fundada no século XV –, eu a selecionei pela reputação e tradição em formar pessoas com papéis profissionais relevantes”.

Também pesou nessa decisão, segundo ele, a boa colocação da instituição nos rankings universitários internacionais e o fato de ser forte na área de ciências humanas. “Além disso, em St Andrews, metade da população é formada por estudantes. Como eu tinha vindo de Londres, que é uma metrópole, eu queria ter a experiência de estudar em uma cidade menor e ter essa sensação de proximidade e de comunidade com as pessoas.”

Entre as vantagens de cursar uma pós no Reino Unido, ele destaca a convivência com os alunos internacionais, vindos de diversos países — pessoas de nacionalidades diferentes debatendo ideias com pontos de vista diversos. “Ter essa variedade de pessoas intelectualmente engajadas na sua vizinhança é uma oportunidade sensacional e contribui muito para o aprendizado. Não há outra maneira de ganhar essa experiência multicultural e essa bagagem de conhecimentos.

Pedro também chama a atenção para o caráter prático do ensino. “Claro que estudamos autores, conceitos e teorias que embasaram a história e a ciência, mas uma parte significativa da formação é resolvendo problemas e pensando em soluções para questões atuais, para que os alunos saiam da universidade prontos para atuar no mercado”.

Outro ponto importante, de acordo com ele, é que os conteúdos ensinados também são de grande relevância. “Os alunos não vão entrar na sala de aula para aprender o que está no Google. Eles vão discutir, por exemplo, quais são as empresas disruptivas atualmente, quais estratégias de mercado elas usam e quais são as tendências atuais.”

Ele também conta que os professores das universidades, além da produção acadêmica, costumam ter uma vasta rede de contatos e relação com o mundo profissional, o que favorece a indicação de alunos para vagas de trabalho.

Assim que terminou o mestrado, em agosto de 2017, Pedro foi para Roterdã, na Holanda, onde trabalhou numa empresa multinacional de bens de consumo. Em 2018, mudou-se para Amsterdã, onde atua como gerente de contas em uma empresa de logística internacional que trabalha com exportação e importação. “Ter feito o mestrado permitiu que eu tivesse um grande leque de escolhas. Eu poderia ter ido para vários lugares e escolhi Amsterdã. Conseguir estar onde eu queria é algo incrível, e eu devo muito disso ao curso que fiz.”

Lisandra Matias – Jornalista


01/07/2020

Cursos superiores têm ênfase na prática e articulação com o mercado de trabalho; profissional que estudou no país conta as vantagens da experiência

Foco nas atividades práticas e forte articulação com o mercado de trabalho são algumas das características das graduações em Turismo Internacional oferecidas pelas universidades do Reino Unido . O português Bruno da Mata cursou Gestão de Turismo Internacional na Inglaterra, entre 2014 e 2017, fez estágio em hotelaria entre o segundo e o terceiro ano da graduação, e avalia a experiência como muito positiva.

“A universidade e o curso me agradaram muito, tanto a questão da qualidade do ensino e das vivências quanto toda a estrutura de apoio, como os centros de emprego”, diz Bruno, que, após voltar para Portugal, cursou mestrado em Negócios Internacionais, Liderança e Gestão a distância numa universidade, também na Inglaterra. Atualmente, ele compartilha essas experiências e orienta estudantes como consultor acadêmico da OK Student , especializada em cursos de graduação e pós-graduação no Reino Unido.

Bruno conta que sempre teve interesse na área de turismo. Após concluir o ensino médio, ele fez um curso de Gestão de Turismo e trabalhou em hotelaria. Quando acabou seu contrato e frente às oportunidades limitadas, começou a considerar fazer uma graduação no Reino Unido. “Eu me interessei bastante, porque vi que os cursos eram bem práticos”.

Como ele já tinha o curso de Gestão em Turismo, ingressou no segundo ano da graduação. Entre as principais vantagens do curso, ele destaca a carga horária semanal reduzida, de cerca de 15 horas, que permite que o aluno tenha um trabalho part-time enquanto estuda, e a ênfase prática. “Como uma atividade da graduação, fizemos uma viagem para Reykjavik (Islândia) e Veneza (Itália) para fazer uma análise do potencial de atração de turistas”, conta.

Outro ponto positivo da universidade, segundo ele, é contar com um centro específico para ajudar o aluno a elaborar seu currículo e buscar experiência profissional, que tem parceria com diversas empresas, inclusive internacionais. Foi numa dessas companhias que Bruno estagiou. Ele atuou, durante um ano, em um hotel da rede Marriott, em Nova York, nos Estados Unidos, onde passou pelas áreas de recepção, vendas, eventos, contabilidade, reservas e serviços.

“Cursar a graduação no Reino Unido e ainda conseguir um estágio nos Estados Unidos foi uma experiência muito rica, pessoal e profissionalmente. Essa vivência internacional valoriza muito o currículo, além das vantagens da fluência no inglês e de ter uma rede de contatos internacionais, que vou levar para sempre”, afirma.

A Ok Student pode orientá-lo em todo esse processo, através de uma consultoria acadêmica completa, que leva em conta sua realidade, objetivos e interesses para encontrar o curso, universidade e cidade ideais para você! Tratamos também de toda a parte burocrática para que você não precise se preocupar com nada, além de ter uma experiência incrível no Reino Unido!

João Santos – aluno de Computer Science na University of Portsmouth

A experiência de estudar no Reino Unido é única e não se limita só a parte acadêmica, o aluno tem acesso a todo um ambiente estudantil próprio do país.

O dia a dia de um estudante no UK é muito preenchido. A experiência de ser um aluno universitário vai muito para além das salas de aulas, bibliotecas ou laboratórios. Significa também ter acesso privilegiado a um vasto conjunto de atividades extracurriculares , as quais podemos nos candidatar, levando a aquisição de novas competências. Pertencer à associação de estudantes, fazer voluntariado, participar nas iniciativas das atividades culturais promovidas pela universidade… O difícil é saber o que escolher!

A maioria dos cursos, são muito práticos. O objetivo é capacitar os alunos com competências adequadas ao mercado do trabalho . Normalmente, cada disciplina tem 3 aulas. Uma teórica e duas práticas por semana. Os alunos são desafiados a pesquisar e experimentar muitos conceitos sempre em busca de resultados e soluções para problemas propostos. Sem nem notarem, estão aprendendo como é trabalhar em equipe, transformar ideias em realidade e a errar muito, em um momento em que errar é fundamental para aprender de forma efetiva!

Encontre um part-time para chamar de seu!

Paralelamente à vida acadêmica, a maioria dos estudantes, cerca de 70%, tem um emprego em part-time, normalmente de 20 horas semanais com horários flexíveis . Existem várias necessidades e preferências, por parte dos estudantes. Uns preferem fins de semana outros dias de semana, sendo fácil conciliar com as necessidades das empresas, existindo a possibilidade de escolher os dias e horários que são mais vantajosos para trabalhar. Normalmente, é fácil encontrar um part-time! Numa loja, num restaurante, num bar, numa balada… é só procurar e querer trabalhar que se consegue ganhar no mínimo £560 por mês.

Organização é fundamental

A maior parte dos jovens que chegam ao UK, nunca tiveram a experiência de viverem sozinhos e organizar o dia a dia, então a maior dificuldade é … quando fazer e o que fazer! A organização e responsabilidade são muito importantes! Organização, para rapidamente saber onde estão os documentos, a roupa, os sapatos, por exemplo. Saber que chegou a hora de lavar a roupa suja, que é necessário ir comprar comida e fazer a lista das compras. Comprar de forma a poupar e não haver muitos desperdícios. Saber ordenar as prioridades!

A organização te permite ter tempo para tudo ! Tempo para ir às aulas, estudar, ter momentos de lazer e disponibilidade para trabalhar! A organização é fundamental para que possa tirar o maior proveito tanto da experiência profissional como acadêmica que você terá.

Qualquer estudante que venha para o UK com motivação e força de vontade, encontrará uma excelente oportunidade para desenvolver novas competências e ao mesmo tempo viver a grande aventura da sua vida !